Tese de Mestrado apresentada à Escola Politécnica da USP

Aluna: Marianna S. Dias

A pesquisa aborda problemas de recalques que vem ocorrendo na Cidade de Santos desde o início dos anos 40, devido à implantação de edifícios sob fundação direta.
O trabalho destaca o Bairro da Ponta da Praia, onde os recalques ocorridos, principalmente os diferencias, foram bem menores que no restante da orla, e a região entre os canais três e seis, denominado pela autora “Faixa Crítica”, onde estão concentrados diversos edifícios inclinados ao longo da orla.
Foi feita uma revisão bibliográfica envolvendo aspectos históricos, geológicos e geotécnicos sobre a cidade de Santos e os principais fatores que a tornaram tão conhecida pelos edifícios tortos ao longo de sua orla. Nessa revisão, apresentaram-se dados sobre o subsolo de Santos, no contexto mais geral dos solos, a Baixada Santista. Foram reapresentados dados de alguns edifícios bastante recalcados e conhecidos na cidade e analisados métodos existentes para estabilização de recalques; alguns casos de aplicação foram relatados.
Os estudos foram baseados em uma grande quantidade de sondagens de simples reconhecimento coletadas na cidade; alguns ensaios do cone, CPT e CPTU, também foram analisados. Foi feita uma comparação entre as duas regiões Ponta da Praia e “Faixa Crítica”, mostrando as diferenças nas espessuras e nas propriedades geotécnicas das camadas de areia superficial.
Foram feitos também cálculos para a previsão de recalques no bairro da Ponta da Praia e na “Faixa Crítica”, levando-se em conta os mecanismos de sobreadensamento das argilas da Baixada Santista e diferenças nas espessuras da camada de areia superficial.
Com a análise das sondagens coletadas foi possível responder alguns questionamentos sobre o perfil geotécnico da Orla de Santos, traçar o perfil geotécnico da orla do bairro da Ponta da Praia e traçar seções no sentido transversal à orla, (praia-centro).

Para ler o trabalho clique aqui